jump to navigation

Dailymotion, o Youtube à francesa 18 outubro, 2006

Posted by Fabio Malini in Comunidade virtual, Video.
1 comment so far

O dilema agente smith é eterno no mundo das redes virtuais. Só hoje descrobri o Dailymotion, o Youtube à francesa. É muito semelhante. Há, contudo, pequenas diferenças interessantes: tem tradução da interface para o português, permite blogar qualquer vídeo e possibilita criar comunidades video-virtuais em torno de determinados assuntos.

A tese de alguns especialistas que o Google comprou o Youtube porque este é um top mind (quando vc pensa em vídeo na Internet, vem logo na cabela o Youtube) é bastante prudente. Basta ver que sites como Dailymotion é tão bom quanto o rival americano.

Anúncios

Uma nova fase da acumulação midiática 14 outubro, 2006

Posted by Fabio Malini in catarse, Comunidade virtual, tese.
add a comment

Com a compra do Youtube pelo Google, as corporações de mídia dão continuidade a uma nova estratégia de acumulação. Já sabem que não há como controlar a mensagem, pois os usuários (com a popularização de videocâmera, câmaeras digitais, celulares, blogs, wikis etc) produzem suas próprias verdades online.

A alternativa para as corporações é o controle dos espaços em que essas mensagens circulam. O Google agora passa a ter, por exemplo, poder de censurar qualquer videozinho que circula no Youtube. Tal como o Microsoft pode aplicar filtros de censura no MSN. Idem o Yahoo, no yahoogroups. Tal como o Google, no Blogger. A lista é infindável de corporações que hoje controlam os principais veículos de produção online.

O futuro da acumulação midiática então é controlar os meios e deixar pra lá a manipulação das mensagens (online). Assim, a lógica que o usuário é capaz de empreender a sua própria esfera de comunicação, o seu próprio discurso, revela-se como uma meia-verdade. No fundo revela-se uma ideologia: por trás da web 2.0, há uma brutal revelação: a matrix nos controla.

Tô pessimista hoje!!!

Ei, aperta o vermelho aê! 15 setembro, 2006

Posted by Fabio Malini in Comunidade virtual, Mobilidade, política.
1 comment so far

No Chile, na Bolívia e Argentina, rola na blogosfera uma campanha de protesto contra as tarifas da telefonia celular. Chama-se “Apagalo” e pretende, no dia 27 de setembro, uma manifestação atípica: todos desligarem os seus celulares. Motivo: lá – como aqui – as tarifas estão nas alturas. Um minuto chega a ser 100 vezes mais do que 60 segundos no telefone fixo.

Via: Blogs Corporativos

Livros de comunicação online, na íntegra 8 agosto, 2006

Posted by Fabio Malini in Blogs, Comunidade virtual, copyflet, Sobre o virtual.
add a comment

Comunicação política, Internet, semiótica, Cinema, Manual de Jornalismo. Há uma dúzia de ótimos livros portugueses sobre o campo teórico e prática da comunicação. Tudo disponibilizado online para nosotros no Labcom Books. A dica veio do blog Jornalismo e Internet, da galera da Federal da Bahia. Mais especificamente,do grupo de Pesquisa de Jornalismo Online lá da terra de Caymmi.

censurar ou fazer justiça no orkut 24 maio, 2006

Posted by Fabio Malini in Comunidade virtual, Sobre o virtual.
add a comment

Para mostrar o grau de liberdade de expressão no país: o Brasil faz acordo com o Google para retirar da web comunidades cheias de animosidades do Orkut. Claro que concordo que o espaço público – mesmo a web – tenha minimamente que respeitar as diferenças, ou seja, não dá para ficar alimentando gente que quer matar o presidente ou jogar bomba no Congresso. Sou a favor da verdade como limite da liberdade de expressão. Mas fiquei pensando até que ponto a decisão brasileira abre uma jurisprudência para que qualquer um se sinta no direito de impor censura à produção do discurso alheio.

De qualquer forma, é um debate ainda aberto.

Tanto tempo na Internet 28 abril, 2006

Posted by Fabio Malini in Comunidade virtual, Sobre o virtual.
1 comment so far

Segundos o IBOPE, o brasileiro só perde para o francês em tempo despendido na internet. São 19 horas, por mês. De cara, sou contra a explicação que vai na "identidade nacional" para analsiar tal fato.

A minha tese é que o brasileiro ainda vive um período de adaptação à web. Nos EUA, por exemplo, o tempo de navegação é baixo pois ela é, em boa parte, feita através de RSS. O brasileiro ainda não descobriu o que um leitor de feed pode fazer. Eu mesmo navego muito pouco. Chego em casa, abro o software leitor de feed, que imediatamente me mostra as informações atualizadas sobre os sites que antes eu navegava. Leio os conteúdos e desligo a máquina. A tendência é que a nevagação seja cada vez mais personalizada, fazendo com que aquela idéia de surfar e se perder na web desapareça.

Um dado interessante da pesquisa é que o brasileiro dobrou o tempo que gastava em comunidades virtuais (como Orkut). São 3h neles (por mês). É muita coisa. Isso vale um bom estudo de caso. Há quem diga que o orkut é brasileiro, porque somos um povo que se permite vincular ao outro. Somos mais abertos ao contato e relacionamento. Não somos acanhados como os europeus e norte-americanos. Não acredito em nada disso. Essas explicações são muito transcendentais.
Não sei… isto pra mim é uma incógnita. Será que é uma questão de identidade nacional ou é por conta do brasileiro está, com o Orkut, experimentando pela primera a existência de comunidades virtuais em que ele troca de camisa (identidade) o tempo inteiro?

?????

Orkut X9 (dedo duro) 22 abril, 2006

Posted by Fabio Malini in Comunidade virtual.
10 comments

Por um lado, uso o Orkut porque há excelentes comunidades, mas, por um outro, o vejo como uma tecnologia enorme de controle. Ontem percebi que o Orkut me possibilita ver quem (com nome e endereço) acessou o meu perfil. É como todos pactuassem em vigiar e ser vigiado. Todos provam do seu próprio veneno.Me lembrei do texto de Foucault, Vigiar ou Punir, sobre a docilização dos corpos. Vamos nos adaptando tanto à disciplinarização do mundo que nos transformamos em corpos dóceis, incapazes de questionar a própria disciplina. Achei estranho a vigilância. Não gostei, até por que isso trai o princípio básico do anonimato que fundou a própria web, embora ser anônimo é cada da mais difícil.

Para quem quer curtir uma boa reflexão sobre o assunto, leia o post Internet nos dá um falso anonimato, do blog Tecnologicamente falando.

Internet diminui impacto da TV em campanhas eleitorais 2 abril, 2006

Posted by Fabio Malini in Comunidade virtual.
6 comments

Li esse post no site do Reinghold. Trata-se do resumo de uma matéria publicada no New York Times que mostra como a Internet produz mudanças na política americana. Os candidatos e partidos agora têm blogs, sites, organizam audiência públicas por meio da web, produzem campanhas políticas etc.

O mais interessante da matéia seria como os marketeiros estão estruturando as próximas campanhas presidenciais. Mas a maior mutação, indicada por analistas de comunicação política, será a diminuição da força da TV na formação de opinião do eleitorado. A Internet decidirá voto.

Para 2008 (ano eleitoral nos EUA), os marketeiros vão produzir audios que se comunicam diretamente com eleitores, por meio de podcasts. Sem contar os vídeos – sobre o perfil, as idéias dos candidatos, mas outros com ataque aos rivais – que serão postos a circular em programas de trocas de arquivos (P2P). Uma outra estratégia será a criação de comunidades virtuais de adesão ao candidato e de ódio aos rivais em espaços de redes sociais da Internet, como o Friendster (o Orkut americano).

Sabemos que há o tal do mobile markting. Uma estratégia viral de circular as campanahs publicitárias ou mensagnes políticas via telefone celular.

Cronologia da Internet 26 março, 2006

Posted by Fabio Malini in Comunidade virtual, Sobre o virtual.
add a comment

Um ótimo link é o texto de Paulo Vaz, publicado na revista Lugar Comum nº 13-14. O título se chama Cronologia da Internet. E mostra como a Internet é produto do desenvolvimento tecnológico, de movimentos sociais e acontecimentos políticos. Para citar três inventos fantásticos:- 1969: a Arpanet.

uma linha telefônica exclusiva e adaptada à velocidade requerida pelo sistema permitiu que os modems de 2 computadores remotos pudessem se comunicar diretamente e transmitir dados com a rapidez necessária. O resultado foi a Arpanet. Dois anos depois de ter sido criada, a Arpanet já tinha 23 grandes computadores conectados e interligados, transferindo informações uns para os outros.

– 1970: o ícones.

Para que o usuário de um Alto não tivesse que decorar e digitar milhares de instruções, os cientistas criaram pequenos desenhos que ficavam na tela, através dos quais era possível abrir os programas. Eram os ícones, sem os quais 99% de nós não saberíamos como operar um micro;

– 1968: o mouse

Para abrir ícones, foi usado um pequeno aparelho conectado ao micro. Ao movê-lo, o usuário via um pontinho caminhar na tela, reproduzindo o movimento feito com a mão. Era o mouse, permitindo a manipulação direta. O mouse foi inventado em 1968.

Artigos sobre o Orkut 21 março, 2006

Posted by Fabio Malini in Comunidade virtual.
5 comments

Alguns textos interessantes sobre formação de redes, expressividade, relações de afeto, formação de identidade, cooperação em rede, e as relações com o Orkut.

Artigo sobre Definição e História Orkut, no WikipediaPor que existem tantos brasileiros no Orkut?
Cleber Matos de Morai
Diego Lopes Rocha

Interação Mútua e Interação Reativa no Orkut: Uma Abordagem do Sistema como Rede Social e Campo Interativo
Maria Clara Jobst de Aquino

Teoria das Redes e Redes Sociais na Internet: Considerações sobre o Orkut, os Weblogs e os Fotologs
Raquel Recuero

A obscenidade do cotidiano e a cena comunicacional contemporânea
Fernanda Bruno

A Criação de Identidades Virtuais através das Linguagens Digitais
Arthur Meucci
Artur Matuck