jump to navigation

O blogueiro Paulo Coelho 5 setembro, 2006

Posted by Fabio Malini in Blogs, Dinheiro, Sobre o virtual.
8 comments

Essa é boa. O mago da literatura mundial agora resolveu monopolizar audiência na web 2.0. Paulo Coelho tem um blog. O diário foi criado para divulgar seu novo livro, A Bruxa do Portobello. Um terço do book vai ser publicado no blog. Depois do lançamento do livro, o blog vai ser um espaço de discussão. O blog do cara pode ser lido em português, inglês, francês, italiano e espanhol. Parece que vai lançar um vídeo no Youtube também, tipo, “uma entrevista exclusiva para você, multidão”. É o espetáculo assediando a mídia da multidão.

No fundo, no fundo, trata-se de um folder interativo. Nada mais. O resto é estratégia de marketing: aproximar Paulo Coelho da “cultura do espalhe”, “da cultura viral da rede”. Me poupe!

Via Blog de Guerrilha.

Anúncios

Tivo e Yahoo juntos 7 novembro, 2005

Posted by Fabio Malini in Dinheiro.
add a comment

Deu na Folhaonline que Yahoo vai disponibilizar a tecnologia Tivo para os usuários WEB. É pra quem está a fim de assistir TV sem ver propaganda.

O TiVo é uma linha de pequenas caixas que são acopladas a uma televisão comum, expandindo suas funcionalidades. De acordo com o modelo do TiVO, o espectador pode agendar gravações inteligentes de programas (por exemplo, todos os episódios de uma série exceto suas reprises), eliminar comerciais, gravar conteúdo em DVDs, fazer uma busca detalhada por programas em todos os canais, entre outros. (FOLHA ONLINE)

O TiVo pode gravar até 300 horas de programas exibidos nas emissoras norte-americanas e permite, por exemplo, que o usuário veja replays instantâneos das cenas que desejar. Ele também tem um guia de programação eletrônico (EPG) que ajuda a gravar programas da TV. De fácil uso, o guia permite, por exemplo, a busca de filmes de acordo com seu protagonista. (FOLHA ONLINE)

Amazon vai vender trechos de livros 5 novembro, 2005

Posted by Fabio Malini in Dinheiro, Sobre o virtual.
1 comment so far

A Amazon lançou um serviço interessante: a venda de capítulos de um livro. É a napsterização na indústria editorial, tal como já rola na indústria de áudio. A estratégia comercial é conseqüência de um outro serviço a busca no interior das páginas do livro. É algo como folhear a página antes de comprar um livro. Deu tanto certo que agora lançaram o servico de comprar de parte das publicações (Amazon Pages).

A questão que não quer calar: pode em termos de direito autoral? Pode liberar a parte em relação ao todo? Pode comercializar parte de um livro?

Se sim, será que vamos ter problemas com Xerox ainda?