jump to navigation

dez dias, hibernando 18 julho, 2006

Posted by Fabio Malini in catarse.
4 comments

Vou ficar off por uns dez dias. Preciso me dedicar a escrever a minha tese. Mas daqui a pouco, volto.

Anúncios

A polinização midiática 12 julho, 2006

Posted by Fabio Malini in Blogs, Sobre o virtual.
1 comment so far

O professor de comunicação Julián Gallo trouxe uma boa metáfora para explicar a reprodução de vídeos do youtube, a reprodução de post de blogueiros em outros blogs… Trata-se da idéia de polinização. Quando um usuário reproduz um vídeo do Google Video no seu blog, ele faria uma dupla polinização: valoriza a veículo de onde retirou o conteúdo e o seu próprio veículo.

As idéias de Gallo estão explicitadas em um artigo para o jornalão argentino La Nacion, em artigo chamado Os blogs são abelhas. Para lembrar aquelas velhas aulas de biologia: a abelha é um agente da polinização, ou seja, faz reproduzir as espécies vegetais levando de um lado para o outros os pólens.

notícias online duram 36 horas 12 julho, 2006

Posted by Fabio Malini in jornalismo, Sobre o virtual.
1 comment so far

Pesquisadores da Universidade de Notre Dame concluíram que o tempo de atualidade de uma notícia online é de 1 dia e meio. Depois disto vira arquivo. Para que as notícias possam durar mais, os veículos de imprensa online têm oferecido o serviço de RSS e de entrega de notícias por email. O usode agregadores (leitores de feed), além de aumentar a audiência das notícias, possibilita o arquivamento das notícias no micro de cada usuário, aumentando a sua durabilidade.

Segue a íntegra da pesquisa, denominada “Quinze minutos de fama: as dinâmicas do acesso à informação na web.

O melhor do Youtube 12 julho, 2006

Posted by Fabio Malini in Sobre o virtual.
add a comment

Já estava demorando… um blog que pinça o que há de hilário no Youtube . Chama-se Youtube Stars. Conversando com um amigo numa festa, ele – especialziado em marketing viral – declarava que já tem em,presa remunerando “especialistas” para produzirem publicidade viral no orkut, nos blogs, no youtube etc.

O motivo: as novas gerações se informam mais nesses espaços do que pela rádio e TV. Formam seus gostos e opinião também.

Se a moda pega…

Alguém, me responda 12 julho, 2006

Posted by Fabio Malini in Sobre o virtual.
1 comment so far

Analisando o fluxo de usuário que chega a este blog via pesquisa no Google, percebi que as palavas-chaves que fazem encontrar esse blog no famoso buscador é, no mínimo, esquisita:

a obscenidade do cotidiano e a cena comu 2
prêmio jornalismo 2006 1
concorrência mobile marketing 1
criança muito gorda 1
Internet nas Campanhas Políticas 1
anônimo comunidade orkut 1

Sobre os comentários 11 julho, 2006

Posted by Fabio Malini in Blogs, jornalismo.
2 comments

Todo blogueiro sabe da importância dos comentários para a credibilidade do seu espaço. Ele é sempre uma incógnita. Com um pouco de “etnografia em rede”, o que dá para perceber é que as pessoas curtem comentar assuntos polêmicos. E é muito comum os posts longos  (ao invés dos curtos) produzirem mais participação do usuário. Em um post longo há frequentemente mais opinião, o que acaba estimulando um debate maior do que aquele microtexto mais informativo.

Claro que há mais variáveis que desvendam a motivação para comentar: o desejo de se apresentar a um debate e assim se colocar na cena pública; para agradecer sobre uma dica ou mesmo para se apresentar a um outro; enfim, a lista é enorme.

Mas, vendo o drama dos jornalistas blogueiros da mídia de massa, os comentários têm um perfil um pouco diferente daqueles que circulam na blogosfera. Frequentemente possuem muitos insultos, não debatem o assunto do post, sendo verdadeiros off-topics.

No fundo, o jornalista – desacostumado com o fato de a web ser sempre uma construção coletiva  e não uma mediação individualista – acaba batendo boca com o seu leitor, editando o material que vai virar comentário. É um dilema duro, por um lado, se libera, a rapaziada produz a “resistência do excesso”  (tem post no noblat que tem 500 comentários, ou seja, impossível de se ler); se edita, é acusado de censor, vendido a dinâmica da mídia unilateral de massa.

Um ótimo texto sobre o papel dos comentários na narrativa bloguer (fonte inspirador desse meu post) está no blog Vida Vacia, de Jorge Gobbi.

Impressões urbanas colaborativas 11 julho, 2006

Posted by Fabio Malini in copyflet, tese.
add a comment

Em Madrid, uma experiência bacana para quem curte governo eletrônico. Trata-se do Wikimap Madrid, e um wiki em que o usuário pode fazer anotações sobre as bases cartográficas da cidade. Você visualiza o mapa da cidade. Rua por rua. E pode inserir impressões, comentários (dicas, críticas etc), imagens e até ruídos sobre os lugares da cidade.

Você cria o seu próprio mapa de Madrid, contemplando suas aventuras e suas histórias pessoais. Isto acaba fazendo parte do todo, ao mesmo tempo. Assim a visão pessoal se torna coletiva, já que inúmeras pessoas realizam a mesma atividade.

Via Juan Freire.

Zidane, um sujeito cabeça 11 julho, 2006

Posted by Fabio Malini in Sobre o virtual.
add a comment

Tá, tudo bem. Zidane foi o melhor da Copa. Mas ele também revelou-se um sujeito-cabeça. Recebi, por email, o jogo do Zidane. Interativo, você pode descontar em zagueiros italianos toda a sua inveja pela Itália ter sido tetra.

Avaliação dos blogs da disciplina 10 julho, 2006

Posted by Fabio Malini in Ufes.
1 comment so far

PM CAPIXABA

LINHA EDITORIAL
muito bem definida. Pouquíssimos off-topic, o que ajuda a manter um público especializado e cativo. Lembre-se web é gueto, não é massa. O ensinamento foi respeitadíssimo.

ATUALIZAÇÃO CONTÍNUA
demorou a engrenar. Mas manteve a cada semana fatos novos.

CONTEÚDO / PRÁTICA DA ESCRITA

Gostei da opção pela informação em detrimento da opinião. A opinião só surgiu por conta da influência do próprio usuário do veículo.

Opção pelo micro conteúdo esteve associado à dimensão informativa. Deu certo.

praticou a hipertextualidade, apontando até informação relevantes (como os telefones das polícias no país).

Senti só um pouco de falta do espírito crítico, inclusive, à propria instituição.

ANÁLISE DE REDE
Não soube aproveitar a participação dos usuários, ora por conta da ausência de um contador de estatística, ora por não interagir com os comentários dos usuários

————————-

DESPERTANDO VOZES

LINHA EDITORIAL
Linha mais opinativa. Ou seja, com foco mais na produção de editoriais. O foco foi conteúdos que giravam em torno da pauta de movimentos da sociedade civil, assumindo, inclsive, o posicionamento editorial desses movimentos. A linha editorial ampla fez com que o blog buscasse uma identidade editorial ainda incompleta.

ATUALIZAÇÃO CONTÍNUA
demorou a engrenar. Mas manteve a cada semana fatos novos.

CONTEÚDO / PRÁTICA DA ESCRITA
Opção pela Opinião em relação à informação. Isto fez com que o veículo optasse por posts longos e definitivos (muitas vezes cansativos de ler em tela)

praticou a hipertextualidade, principalmente interior aos posts, mostrando um aprendizagem com a ferramenta.

Excesso de crítica acabava dificultando a percepção dos outros lados das questões.

Poderia inverter o layout: fundo claro, letra escura. Isto facilita a leitura.

ANÁLISE DE REDE
Bastante participativo, o blog faz com que o usuário se sinta em casa, por isso, que há bastante comentários, puxados pela escolha precisa por temas que produz polêmicas e interações.

————————–

NÓS EM TRANSE

LINHA EDITORIAL
muito bem definida. Pouquíssimos off-topic, o que ajuda a manter um público especializado e cativo. Lembre-se web é gueto, não é massa. O ensinamento foi respeitadíssimo. Uma delícia de ler.

ATUALIZAÇÃO CONTÍNUA
atualizadíssimo.

CONTEÚDO / PRÁTICA DA ESCRITA

Opinião e informação convivem de forma harmônica. Nos últimos posts, decisão editorial caminha para a informação, aliás, bastante noticiosa, já que pouco encontrada na imprensa de massa.

Opção pelo micro conteúdo esteve associado à dimensão informativa. Deu certo.

praticou a hipertextualidade, principalmente interior aos posts, mostrando um aprendizagem com a ferramenta.

ANÁLISE DE REDE

Contador de estatística revela que o blog é voltado para a dimensão mais regional, local. Acredito que deveria manter esse foco, pois, aqui na roça, pouco temos de informação e opinião sobre cultura. Então tendo alguém que se dedica a isso é um ótimo refresco.

————————–


GERAÇÃO PROZAC

LINHA EDITORIAL
caótico, em termos editoriais. Mas assim assumido.

ATUALIZAÇÃO CONTÍNUA
ficou devagar um pouco mas depois ficou atualizadíssimo.

CONTEÚDO / PRÁTICA DA ESCRITA
Opinião sobre a informação. Isto fez com que o veículo optasse por posts longos e definitivos (muitas vezes cansativos de ler em tela)

praticou a hipertextualidade, principalmente interior aos posts, mostrando um aprendizagem com a ferramenta. IMportante também o uso da multimidialidade. Perfeito!

Excesso de crítica acabava dificultando a percepção dos outros lados das questões.

Uso recursivo de fontes coloridas. É um “mico virtual”. Dificulta a leitura e parece criar um texto vagalume.

ANÁLISE DE REDE
Bastante participativo, pena que sem contador de estatística.

——————————–

POLITICA EM REDE

Linha editorial
bem definida, mas o blog é permeado de off topics.

ATUALIZAÇÃO CONTÍNUA
ficou devendo.

CONTEÚDO / PRÁTICA DA ESCRITA

Opção pelo microconteúdo, com foco mais informativo.

praticou a hipertextualidade, principalmente interior aos posts, mostrando uma aprendizagem com a ferramenta. Importante também o uso da multimidialidade.

Pouca produção de posts próprios, capturando conteúdo da imprensa. O blog acabou indo para um estilo clipping, perdendo o pouco de identidade própria que havia ganhado.

ANÁLISE DE REDE
Poucos comentários, derivado da incipiência de conteúdos. É o risco do micronteúdo. Contudo, ter comentários em um blog não faz com que ele seja melhor ou pior. Não fica claro para quem se dirige o blog.

———————————–

LEITURA ALTERNATIVA

LINHA EDITORIAL
confuso, o que produziu uma multiplicidade de posts sem coesão um com o outro. Acabou virando um espaço para que os autores exorcizassem suas dúvidas teóricas.

ATUALIZAÇÃO CONTÍNUA
facílimo de acompanhar, pois teve pouca atualização.

CONTEÚDO / PRÁTICA DA ESCRITA
Opinião sobre a informação. Isto fez com que o veículo optasse por posts longos e definitivos (muitas vezes cansativos de ler em tela)

praticou a hipertextualidade, principalmente interior aos posts, mostrando um aprendizagem com a ferramenta (embora tenha demorado em utilizar o recurso).

Excesso de crítica acabava dificultando a percepção dos outros lados das questões.

Uso recursivo de fontes coloridas. É um “mico virtual”. Dificulta a leitura e parece criar um texto vagalume.

Muita reprodução de material já publicado na imprensa, o que torna o blog pouco atraente, por não trazer contribuições informativas e editorial (formativas) ao leitor.

ANÁLISE DE REDE
Uma dúvida…

———————————–

ESPAÇO UFES

LINHA EDITORIAL
muito bem definida. Pouquíssimos off-topics, o que ajuda a manter um público especializado e cativo. Lembre-se web é gueto, não é massa. O ensinamento foi respeitadíssimo. Uma delícia de ler.

ATUALIZAÇÃO CONTÍNUA
atualizadíssimo.

CONTEÚDO / PRÁTICA DA ESCRITA

Opinião e informação convivem de forma harmônica. Contudo, a informação dá a tônica ao blog.

Opção pelo micro conteúdo esteve associado à dimensão informativa. Deu certo.

praticou a hipertextualidade, principalmente interior aos posts, mostrando um aprendizagem com a ferramenta.

ANÁLISE DE REDE
Contador de estatística revela que o blog é voltado para a dimensão mais regional, local. Acredito que deveria manter esse foco, pois há um número elevado de usuários que buscam informação sobre a universidade. Então tendo alguém que se dedica a isso é um ótimo refresco.

———————————–

LEVANTANDO VÔO

LINHA EDITORIAL
Confuso no íncio, mas aos poucos foi encontrando um foco entre assuntos sobre viagens, turismo e aviação.

ATUALIZAÇÃO CONTÍNUA
demorou a engranar, mas manteve um nível médio de atualização.

CONTEÚDO / PRÁTICA DA ESCRITA

Opinião e informação convivem de forma harmônica. Contudo, a opinião dá a tônica ao blog.

Sempre com um certo estilo irônico.

Opção pelo micro conteúdo esteve associado à dimensão informativa/opinativa. às vezes se confundia o interesse com uma opinião mais distanciada sobre determinados temas.

praticou a hipertextualidade, principalmente interior aos posts, mostrando um aprendizagem com a ferramenta.

ANÁLISE DE REDE
Contador de estatística revela que o blog é voltado para a dimensão mais global, contudo, há poucos conteúdos que abarcam esse interesse da audiência. Não esqueça de observar a demanda do seu usuário. Isso é importante como prática jornalística: se antecipar a pauta e criar a sua própria.

——————————-

CULTURA E HISTÓRIA CAPIXABA

LINHA EDITORIAL
Bem definido, apesar de muitos posts serem off topic.

ATUALIZAÇÃO CONTÍNUA
atualizadíssimo no início, mas os dias foram passando, e os posts escasseando…

CONTEÚDO / PRÁTICA DA ESCRITA
Opinião e informação convivem de forma harmônica. Contudo, a opinião dá a tônica ao blog. Sempre com um certo estilo irônico. Uso recorrente de posts longos e definitivos. Parece não produzir cansaço, já que possuem comentários.

Praticou a hipertextualidade, principalmente interior aos posts, mostrando um aprendizagem com a ferramenta.

Gerou um certa confusão o tema dos conteúdos, ora sobre o patrimônio da cultura, ora sobre cultura pop (festivais, banas etc), ora sobre debates políticos… Talvez a autora se via limitada pela própria linha editorial que criou.

ANÁLISE DE REDE
Contador de estatística revela que o blog é voltado para a dimensão mais local, contudo, não esqueça de observar a demanda do seu usuário. Isso é importante como prática jornalística: se antecipar a pauta e criar a sua própria.

————————

REFLEXÃO POLÍTICA

Quase natimorto, demorou a engranar, teve lampejos de produção, mas depois ficou paradinho, paradinho…